quarta-feira, 25 de outubro de 2017

[Podcast] Pensando RPG #120 - Dragões, Animes de RPG e dicas para controlar o ritmo narrativo


Bom dia, RPGista!! Segue mais um podcast muito especial para vocês, confirmando aí que, sempre que possível, teremos fixo esse segundo podcast de feedback, com perguntas, respostas e participações da galera. E ainda faço um agradecimento a vocês! Enfim, segue a sinopse:

Neste episódio, indico uma postagem (nos comentários) muito legal sobre Dragões, trago mais algumas indicações de Animes baseados em RPG feitas pelo pessoal, algumas novas ideias de como testar seus jogadores e ainda respondo a uma pergunta sobre quando e como acelerar e desacelerar uma narrativa.

Duração: 39m29s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast


BAIXE AGORA O APP DO SITE

Promoção da Amazon, Temporárias


- Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley (por R$9,90)

- Wild Cards (série do Martin ligada ao RPG)

Falado no Podcast


Confira e Participe





powered by TinyLetter

11 comentários:

  1. existe um RPG baseado na serie my little pony, chamado tales of equetria, e é legalizado pela hasbro, alguns animes/mangas/light novels/magwas/mawas sao:
    Overlord
    Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka
    Re:monster
    Sword art online
    .//hack

    e tem uma serie de quadrinhos/livros brasileiros é a serie holy avenger, q é ligado a tormenta

    ResponderExcluir
  2. Mais um ótimo podcast.
    Descobri os Pensando DnD a pouco tempo e já estou correndo para ouvir todo o conteúdo.

    Queria deixar um tema para ser abordado.
    Na minha mesa estou tentando criar uma sensação de unidades no grupo (DnD 5E), pedi para que o grupo escolhessem um nome e até o lema e assim dando uma identidade ao grupo com o objetivo de terem algo para construírem e contribuírem para algo juntos pois no downtime vão ter a opção de fundar sua guilda, sede, aliados e etc.
    Gostaria de saber se há alguma regra para controlar fama do grupo nos lugares, com benefícios e contras, custo de locais e manter grupos mercenários e todo o gerenciamento de recursos que uma guilda poderia ter.
    Obrigado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, legal que tenha conhecido e gostado. Vou dar uma lida aki e pensar sobre o pedido sim pra semana que vem!

      Excluir
  3. Leo, parabéns pelo ótimo trabalho. Sem me prolongar, gostaria de saber como você organiza suas campanhas e aventuras? Sei que alguns desenvolvem um fluxograma para seguir, outros escrevem tópicos e eventos que vão ocorrer. Eu, inicialmente, criava apenas os NPCs e suas motivações e acabava pecando na vividez do mundo, deixava tudo "parecido" e com poucos destaques. Aos poucos melhorei, mas hoje tenho um certo problema na organização e acabo fazendo muita coisa e pouco é usada de fato. Acredito que os ouvintes também gostariam de umas ideias pra se organizar, inclusive exemplos (se não for pedir demais, haha). Agradeço a atenção.

    P.S.: Traga o Bruno Cobbi novamente, o papo com ele foi muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não li todo o comentário ainda. Sobre o Cobbi já estamos agitando. É que ele estava ocupado, mas tá preparando um material pra dar dicas de narração e tal. Vai ser bem maneiro.

      Excluir
  4. Gostei do podcast!

    A questão de como o mestre de jogo pode controlar o fluxo da narrativa é muito interessante.

    E é uma questão que tantos mestres iniciantes quanto mestres experientes têm.

    A minha resposta é bem simples: se o jogo estiver entediante para o mestre corte a cena e avance no tempo.

    Por exemplo: eu não gosto de interpretar compras de intens em lojas, eu simplesmente avanço no tempo e digo que eles conseguiram tudo que queriam. Quanto a diálogos longos e intermináveis, se eles forem interessantes para todos os jogadores interpretamos, se eles forem entediantes para a maioria dos jogadores cortamos e avançamos no tempo. Se a conversa for entre dois personagens do mestre por favor corte. Se for só entre um personagem de jogador e um do mestre também é bom cortar.

    ResponderExcluir
  5. Iaew Leo! Blz?

    Retorno aqui nos comentários devido ao seu pedido de recomendações de séries animadas que relembrem RPG.
    Planejo voltar a esse tema, mas por hora eu comentarei essas duas incríveis séries.

    1) Log Horizon
    Repentinamente, todos os jogadores do servidor japonês (quem sabe do mundo) acordam no mundo do MMO online Elder Tale. Agora, sem nenhuma explicação ou rumo definido, os players devem se adaptar a esse mundo de fantasia, ou achar um jeito de voltarem para casa.
    A séria acompanha principalmente Shiroe, o protaonista, e sua roda social.
    O objetivo de Shiroe, então, torna-se compreender esse universo, e achar uma maneira de voltar.
    É interessante notar que os comandos do jogo, antes usados, por exemplo, para aplicar as técnicas, não funcionam mais, e os players devem usá-los como se fosse conhecimentos inerentes deles.
    Outro fato interessante é que todos os ofícios, cozinha, ferreiro, alfaiate, tornaram-se inatos à todos, tendo as grandes guildas de mercadores, tranformando-se em verdadeiras companhias de comércio.
    Além disso, evidentemente, que os NPCs tornaram- almas vivas, e funcionam na trama como players, mas sendo integrantes do jogo.
    Bem, eu resumi MUITO para não dar spoiler algum, mas espero que tenha dado alguma noção da série.
    O anime posssui 2 temporadas com 25 episódios cada, porém, infelizmente, na metade da 2°, a trama da uma caída.
    Confiram!

    2) Magi: The Labirynth of Magic
    Baseada nos contos das 1001 noites e já comentada por mim antes, Magi apresenta-se como um mundo de fantasia sensasional para muitas campanhas.
    A série tem início numa sala estranha, com o diálogo entre um garoto e um gigante ser azul, este que pergunta para o garoto o que ele deseja. O menino então, pede tão somente que o gigante seja seu amigo, e é aí que tudo se inicia.
    Para explicar um pouco mais, é necessário explicar o sistema de magia da obra, o Magoi. Garantido pela estrutura dos Rukh, pequenas "folhas" visualisadas apenas por magos, o Magoi funciona como uma quinta força do universo, garantido a possibilidade de um indivíduo utilizar habilidades de propriedades mágicas ou não.
    Há aqueles que nascem com muito Magoi, os quais normalmente acabam por ser tornar os Magos, quase uma raça na perspectiva da série.
    No entando, é possível fortificar o magoi a partir do aprimoramento da alma e do corpo. Um melhor condicionamento físico garante melhor uso de magias e outras habilidades.
    Dito isso, vamos para o conceito de Magi e das Dungeos. Magi é o "Mago Supremo" da Terra, existindo apenas 3 deles numa determinada era. Amados pelo Rukh, eles dispõem de magoi praticamente infinito, provenientes das estruturas. Eles são responsáveis por eleger os Reis que governarão as nações do mundo, através do sistema das Dungeons. Estes construções foram feitas para garantir ao candidato a rei o poder supremo para governar, proveniente de um Djinn (gênio) que se aloja em um receptáculo de metal (anel, brinco, armas...) do candidato, provendo a ele poderes variados, indo desde a pyromancia até o controle do magnetismo.
    É importante ressaltar a dificuldade dessas Dungeons, já que apenas uma foi responsável pela morte de mais de 20 mil soldados.
    Dessa forma, existem nações que buscam o poder dos Djinns para expansão, como o Império Kou e pessoas que buscam apenas uma aventura, como o protagonista Ali Baba.
    Em um universo repleto de Guerras, disputas ideológicas e políticas, Fanalis (vejam a série e perçebam o porquê) e referências diretas à antiguidade clássica (Império Reim = Império Romano), Magi é um anime imperdível.
    O anime apresenta 2 temporadas de 25 episódios e o mangá finalizou recentemente com 369 capítulos.
    Então está esperando o que? Deveria ter ido conferir quando eu citei o nome!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o podcast. Maratonei todos os 120 episodios em 1 mes e pouco mais ou menos. Pergunta, como faz para pegar o desconto do kindle? Valeu.

    ResponderExcluir
  7. Mandou bem em mais um podcast Leo. Essa questão de controlar o fluxo é realmente muito importante, e é uma coisa que devemos estar atentos sendo narradores iniciantes ou experientes, pois isso altera o fluxo de jogo e tem que ser usado sabiamente.
    PS: Ao clicar no link de "Arslan Senki (Anime baseado em D&D)", esta redirecionando pro post: [Podcast] Pensando RPG #117 - A Estranha Festa e O Teste dos Deuses. Depois da uma acertada nisso kkk, um abraço

    ResponderExcluir