terça-feira, 17 de outubro de 2017

[Podcast] Pensando RPG #114 - Bate-papo com Eduardo Spohr: a importância do RPG e a adaptação da tetralogia angélica para Dungeons & Dragons


Bom dia, RPGista!! Hoje temos um episódio muito legal! Com direito a cenário de RPG gratuito para vocês, além de uma super promoção de um livro incrível de RPG. Temos um bate-papo muito maneiro e super interessante com Eduardo Spohr. E foi lançado também um desafio!! Quero ver todos participando. Enfim, segue a sinopse:

Neste episódio, bate-papo com Eduardo Spohr, um dos grandes nomes da literatura de fantasia nacional. Durante a conversa, falamos da importância do RPG em sua vida e na criação de suas histórias e depois mergulhamos na excelente adaptação feita de seu universo para o sistema de Dungeons & Dragons.

Duração: 1h07m20s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast


BAIXE AGORA O APP DO SITE

Promoção da Amazon, Temporárias


(Por causa da promoção, já acabou em estoque na Amazon, mas podem pedir, só demora mais a chegar. Garantam pelo preço baixo)

(VÍDEO MOSTRANDO O LIVRO NO FIM DO POST)

- Todos os livros do Eduardo Spohr

Falado no Podcast




**Masque Of The Red Death And Other Tales, Ad&d Ravenloft (Esse é o RPG citado pelo Spohr, mas só encontrei links do mercado livro, que não posso garantir serem 100% seguros para compra. 

Confira e Participe





powered by TinyLetter

9 comentários:

  1. Sou mestre desse cenário desde que o Dudu veio pra Pernambuco lançar o livro, e a cada mesa eu me apaixono mais
    Tenho várias idéias de tramas, e inclusive já usei em meus jogos, espero que o Dudu aprove pq eu sou mega fã dele. (Dudu vai esperando minha fanfic kkkkkk)
    A primeira eu usei muito dos conceitos que ele põe e seus livros mas alterei algumas coisas para ficar mais emocionante para os players.
    No interior de Pernambuco um grupo de jogadores estão voltando de uma missão que não foi muito bem sucedida (foi oq aconteceu no meu caso) é o carro fica sem gasolina, a luz do combustível fixa piscando e a falta de rede de celular deixa o grupo preocupado. O cenário em volta é apenas plantação de algum grão, o grupo percebe em algum momento que nos fios de energia que ligava um poste no outro tinha pombos e pássaros que não se aproximavam da plantação, talvez por causa dos espantalhos que estavam espalhados pelo local, os espantalhos davam arrepios na espinha dos mortais do carro. Mas o grupo ainda continua, e encontra um casal pedindo carona, o casal fala que ficaram sem gasolina, o próximo posto fica a 2 horas de viagem do local, (os anjos do local percebem que no plano astral não tem nenhum mendigo, ou raptor por perto, oq é estranho. ) O grupo resolve ir com o casal procurar uma casa, deixando os carros lá. Eles acham uma fazenda, o fazendeiro muito simpático ajuda o grupo é reboca os carros, faz o grupo trabalhar na fazenda pra compensar as despesas e se oferece pra no outro dia ele ir até o posto buscar gasolina. O tempo passa e a esposa e filha do fazendeiro se junta ao grupo para jantar, um jantar descontraído deixa o grupo tranquilo, e quando o grupo vai dormir, escutam gritos, o casal de fazendeiros tá tirando o casal de visitantes para fora com machados e a filha escoltando com uma espingarda, o fazendeiro quer matar os visitantes, e esse é só o primeiro problema, quando o casa se esconde na plantação, os jogadores percebem que os espantalhos não estão onde deviam está. E começa uma perseguição entre os jogadores perdidos na plantação, os fazendeiros e os espantalhos. Mais tarde os jogadores vão descobrir que os espantalhos são fadas seduzidas ao mundo material através de sacrifício humano, a ideia era fazer um pacto em troca da fertilidade da terra. Os espantalhos são restos de corpos humanos costurados e com feno pra dar volume, seu rosto é coberto por um saco de pano e seus dedos são lâminas de tesouras.

    É isso sei que ficou grande mas essa mesa deu muito orgulho quando joguei pois o medo dos jogadores que eram ciclo 2(anjos) e outros lvl5 (humanos) foi o suficiente pra causar espantalhos que queimavam e deixava tudo pior. Por sorte os jogadores sobreviveram levando a casa do fazendeiro em uma explosão gigante com o gás. Abraço Leo, e abraço Dudu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Post grande assim é muito bom. Depois leio com calma e já guardo para o podcast de feedback. Pode mandar sempre.

      E, pois é, fiquei encantado com o livro deles, sério! Qualidade incrível. Incrível mesmo mesmo.

      Excluir
  2. Caramba! Que sensacional, fiquei MUITO animado depois de ouvir esse podcast e quero jogar com certeza nesse cenário ai. Eu não conhecia antes, mas já vou correr pra comprar ao menos o primeiro livro dessa saga e o Universo Expandido. Vou adaptar o conteúdo do PDF para o +2d6, que é pessoalmente meu sistema favorito, e marcar de jogar com meus amigos o quanto antes. E se eu produzir ideias interessantes com certeza vou compartilhar com vocês!
    Um abraço para você Leo e para o Eduardo, e parabéns por mais um fantástico podcast de entrevista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí! Com o livro do Universo Expandido dá sim pra adaptar para o seu sistema o cenário sim. Ainda mais dando uma lida nos livros. O batalha do apocalipse traz legal as ideias de Umbra e tudo mais. Aconselho por referência a ler o primeiro do Filhos do Éden também. Abre com uma cena já muito legal num posto, com uma descrição muito legal do Spohr (e traz os conceitos terrenos pra usar no RPG). Falo isso também até pelo lado literário, eu particularmente curti demais a evolução da narrativa do Spohr do primeiro para o segundo livro. Tanto que usei essa cena inicial do Filhos do Éden, a descrição de abertura pós prólogo como uma das referências para melhorar minha montagem de cena nos meus livros.

      Excluir
    2. Comprei o Batalha do Apocalipse e estou aguardando ansiosamente pela chegada dele e do Universo Expandido, assim que acabar de ler o primeiro livro vou sim tentar comprar os próximos, tanto por gostar de ler fantasia, quanto para entender melhor o cenário para criar minhas campanhas e aventuras de jogo eventualmente.

      Excluir
  3. Comprei os dois livros.



    Ótimo Podcast, como todos os outros, sou jogador a algumas décadas, e um acidou ouvinte seu e do Eduardo, meu próprio cenário para D&D uso a ideia do Eduardo, dividindo o mundo por esta cortina/umbra entre os planos (mortal, celestial, infernal e elemental).

    Claudio Toledo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Que legal saber! E fico muito feliz em saber que curtiu esse cast e que curte os outros. Galera realmente tá participando bem desse aqui, vai ser legal pegar o feedback de todo mundo com histórias, etc.

      Excluir
  4. Aquela pitada de verdade que ninguém aceita!
    Tolkien nunca engrenou nada. Quem engrenou foi Peter Jackson. O TLofR que o pessoal gosta é o TLofR do Peter Jackson. Pessoal que gostou de ler TLofR pós filme imaginam as personagens interpretadas pelos atores do filme do Peter Jackson. TLofr do Tolkien só tem anão de circo, hobbit duende de jardim e orc lauça. Só para deixar claro Peter Jackson Peter Jackson Peter Jackson Peter Jackson é o TLofR deles que os pseudo nerds gostam Peter Jackson Peter Jackson Peter Jackson não é o TLofR do Tolkien não xdxdxdxdXDXDXDXXD

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do podcast! Sempre gostei desse cenário de anjos, porém o material realmente era bem fraco. Agora vou testar esse cenário do Spohr, pelo que vi e entendi vai ser bem massa!

    Leonardo, mais uma vez muito obrigado. Bacana demais os podcast que lança!

    ResponderExcluir