segunda-feira, 18 de setembro de 2017

[Podcast] Pensando RPG #097 - Criando mundos e aventuras, hexcrawl e RPG Old School (Bate-papo com Rafael Balbi)


Bom dia, RPGista! Hoje trago mais um super bate-papo com o Rafael Balbi, que fez muito sucesso umas semanas atrás aqui no blog. Falamos de novo de hexcrawl, agora abordando mais diretamente a criação de mundo. Enfim, ficou MUITO legal. E ele disponibilizou para a gente coisas interessantes, vale checar. Bom... segue a sinopse:

Neste episódio, converso novamente com Rafael Balbi. Hoje, falamos sobre criação de mundos (Sandboxes, Hexcrawl, etc), utilizando a experiência do próprio Balbi na criação do mundo do seu RPG "Ouro e Glória", com ideias super interessantes de preenchimento de hexes e tabelas.

Duração: 56m47s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast


BAIXE AGORA O APP DO SITE


Falado no Podcast







Confira e Participe




powered by TinyLetter

7 comentários:

  1. Fiz quase a mesma coisa que o Balbi sobre a floresta, só que a minha dificuldade mesmo é detalhar as cidades, porque percebo que meus jogadores sempre saem da cidade rapidamente.

    Comecei a fazer uma tabela sobre detalhar a cidade e acho que ela esta boa para começar a gerar uma história da cidade.

    Após isso fiz uma tabela de geração de guilda na cidade, já que guildas normalmente são Hub para a classe do personagem.

    Falta detalhar a guilda dos ladrões mas vou disponibilizar aqui com a esperança de ajudar alguém.
    (O foco da filial da guilda dos magos, foi pensado para Old Dragon e meu mundo)

    https://drive.google.com/drive/folders/0B5Aq2xWJo8zld0RkUjBTazVHQ3c

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem maneiro, Danilo! Curti as tabelas, principalmente as de guildas. Altos ganchos.

      Eu acho legal ter um starting point maneiro pro grupo mas é legal que não seja tão detalhada a ponto deles não quererem sair da cidade, senão não tem exploração do mundo selvagem. Por outro lado, nada de errado em jogar na cidade com elementos de aleatoriedade, e pode ser um ótimo contraponto à exploração do mapa.

      Recomendo fortemente, inclusive, o Vornheim, do Zak S. (do D&D with Pornstars). É um kit de cidade agnóstico de sistema incrível e muito completo e empolgante, se não conhece dá uma conferida depois. É um dos melhores livros de RPG que eu já vi.

      Outra coisa que vou te recomendar é o Ars Magica. Vi no seu outro comentário que você curte Mago, fez tabela de guilda de magos e talz. O Ars Magica é um jogo centrado no Covenant de magos herméticos e começa montando uma ficha bem maneira dele. Capaz de você curtir e explorar ainda mais esse tipo de construção que você curte.

      Guardei suas tabelas aqui. Vamo bater uma bola depois. =)

      Excluir
    2. Obrigado pelas indicações de leitura Balbi.

      Fui atras do Ars Magica pensando que seria um "Mago Simplificado" por possuir somente os Herméticos... e acabei tendo a mente explodida.

      O Vornheim esta R$ 56 na amazon e aonde eu vou só vejo falarem bem dele.
      Fiz minha rolagem de Computação+Inteligencia suportado com correspondência mas não tive sucesso em encontrar algumas paginas do livro.
      (Sim eu sei, não é moralmente legal, mas gosto de ver pelo menos algumas paginas do livro antes de comprar fisicamente/digitalmente)
      Me lembro que a primeira vez ouvi falar dele foi no GM Tips com Satine Phoenix do Geek & Sundry com o próprio Zak Sabbath.
      (Quem tiver com o inglês afiado é uma boa assistir)

      Excluir
    3. https://docs.google.com/spreadsheets/d/1NGWyqf9oWb4QY709mhOTslsMW3JrbKeDZqnO25OZlHs/edit?usp=sharing

      Mais uma tabela, agora de personagens.
      Acho que essa ficou bem daora.

      Excluir
    4. Botei na postagem, já que no podcast de perguntas e respostas que tá saindo fiz referência.

      Excluir
  2. O que mais me encantou no Hexcrawl foi que da para utilizar a sua filosofia em qualquer sistema.
    Estava fazendo uma mesa de Mago A Ascenção, simplesmente abracei a aleatoriedade e foi muito legal.
    Me lembro que alguns meses atras eu perguntei para você Leo, "como me divertir sendo mestre?", e eu descobri a diversão via a aleatoriedade completa.
    Talvez meus jogadores não gostem de enfrentar uma tribo de Garou nos níveis mais baixos, mas fazer o que o mundo que foi criado é mais vivo do que eu posso controlar.

    Valeu Leo.

    ResponderExcluir