terça-feira, 11 de julho de 2017

[Podcast] Pensando RPG #065 - Entenda a figura do Druida


Bom dia, RPGista! Segue mais um dos nossos podcasts conceituais. Gostei demais de fazer esse. E espero que sane as dúvidas e que ajude o pessoal que veio me perguntar sobre a classe. Creio que será interessante falar mais do que inspirou cada classe e de como jogá-las melhor. Enfim, segue a sinopse!

Neste episódio, falo sobre a classe do druida, sobre algumas concepções erradas que a galera tem a seu respeito. Aproveito também para dar algumas ideias de personagem, comparando com a história e personalidade de figuras conhecidas da literatura ou do mundo da fantasia. Saiba também das inspirações históricas que levaram à criação do druida no Dungeons & Dragons.

Duração: 18m20s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast


BAIXE AGORA O APP DO SITE

Falado no Podcast



Confira e Participe

20 comentários:

  1. Respostas
    1. Farei, essa semana farei o monge pq me pediram, mas depois faço o Clérigo =)

      Excluir
  2. Quando farão o Guerreiro?
    A simplicidade e a praticidade de se criar um guerreiro não se aplica ao Roleplay, é muito difícil interpretar a figura de um guerreiro, de um espírito guerreiro, é uma classe simples e ao mesmo tempo complexa,
    Please! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanhã sai o Monge, pq pediram. Terça que vem clérigo também pq pediram. Então faço o Guerreiro daqui a duas terças pra você!

      Excluir
  3. Parabéns cara, muito bom programa! segundo podcast que ouso seu, se puder faz de bruxo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza. Depois vou catar também um antigão, sobre Bruxos, Feiticeiros e Magos, que foi uma pergunta respondida. Às vezes ajuda! E teve um sobre Bruxas (Hags), as criaturas, recentemente. Mas hoje mais tarde ou amanhã boto o link aqui pro podcast de perguntas e resposta antigaaaço em que falei um pouco de Bruxo.

      Excluir
  4. Pena que cheguei atrasado pra comentar na postagem, não sei se você vai ler, mas como alguém que joga de Druida como classe principal e gosta muito do conceito, talvez eu contribua em algo.

    Primeira coisa: Muitos personagens que a gente conhece como magos são druidas. Um ÓTIMO exemplo é a Morrigan de Dragon Age. Não apenas ela é uma "bruxa das florestas", ela possui a especialização "Shapeshifter", que a permite se transformar em animais. A gente tá acostumado a ler sempre o nome das classes (no caso dela, Mage), mas essa linha entre "Mago e Druida" sempre foi bem fina na prática.

    Outros pontos importantes:

    1) Muita gente acha que Druidas são hippies, abraçador-de-arvores, protetor de guaxinins. Eu não impediria um jogador de jogar assim, se ele quisesse, mas druidas são muito mais que isso.
    Vê-se no Barbárvore (um ótimo exemplo) um personagem que ama a natureza e suas criaturas, mas isso não o impediu a comandar os Ents (criaturas vivas) a entrar na guerra (e eventualmente se ferirem ou morrerem).
    Abraçar a natureza significa entender o ciclo da Vida e da Morte. Isso é natural e não deve ser rejeitado. Os mortos retornam para a própria Natureza e uma nova aventura se inicia.

    2) Nem todo Druida odeia cidades. Embora como você citou, há druidas (geralmente malignos) que querem destruir os humanos e suas cidades (ex: Hera Venenosa da DC) há Druidas que entendem que humanos também são seres vivos e também merecem seu espaço (ex: Coisa do Pantano, também da DC).
    Esses druidas entendem que humanos não tem pelagem alta ou cascos para se proteger do frio, então caçam e cortam arvores para dar a volta por essas desvantagens "raciais".
    Inclusive, caça é algo natural de qualquer ser vivo e, contanto que feito apenas para saciar as suas necessidades, é até mesmo encorajado pelos druidas, grandes fãs da seleção natural.

    3) Como eu disse, Druidas tem tudo a ver com seleção natural. Claro que nem todo druida precisa abordar esse lado do roleplay, mas para os que quiserem, Druidas podem ser ferozes e "frios" (ainda se mantendo neutros). Eles são Neutros de forma que representam ao mesmo tempo a Beleza e bondade da Natureza assim como sua Ira e Destruição.
    Em um momento, a plantação pode se expandir e florescer, dando alimento, abrigo e recursos, em outros, uma forte tempestade pode varrer completamente um vilarejo do mapa. Ambos os lados dos Druidas devem ser considerados.

    Acho uma classe riquíssima de se interpretar, sendo (junto com o guerreiro) uma das que mais permitem personagens distintos partindo de um mesmo ponto. Espero que mais pessoas se interessem pela classe (e que se interessem pela interpretação, não porque Moon Druid é muito forte na 5e).

    PS: Para os interessados, altamente recomendo que pesquisem sobre as lendas de Baba Yaga, uma ótima representação de Druidas que também se originou na mitologia eslava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, cara! Vou levar o comentário para o podcast de segunda, de perguntas e repostas, onde também trago o feedback da galera.

      Excluir
  5. Leonardo Schabbach só queria dizer q acompanho o seu site, pagina, canal no youtube a um bom tempo, eu adoro seus podcasts e esses com tema de classes e entendendo a fundo é uma coisa q não se ve muito por ai, então obrigado por dar esse material continue com seu trabalho! e mudou um pouco dos podcast q eram apenas "como mestrar" ou "como interpretar" temas muito próximos e q muitas vezes vc acabava repetindo muita coisa, é ótimo vc esta diversificando o conteudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, valeu! Próximo passo agora é trazer convidados com alguma frequência. Tb dá uma diversificada legal!

      Fico feliz que acompanhe o trabalho e goste!

      Excluir
  6. Muito bom, estou mestrando uma mesa com um druida, vai ajudar bastante!

    ResponderExcluir
  7. Poxa mano, com todo respeito e todo carinho, eu acompanho seus Podcasts faz tempo, mas dessa vez, deixou muito a desejar na minha opinião.
    O druida é bem mais abrangente, e poderia ser colocado em N perspectivas diferentes.
    Infelizmente você só fez comparações com os contos do Tolken que na minha opinião, passaram longe de atender os requisitos druídicos.
    Acho que vc pode fazer um novo podcast explicando essas perspectivas que foram deixadas de lado.

    ResponderExcluir
  8. Cara, eu falei da Babá Haha, Druidas como Ira da natureza, dos druidas de Brumas de Avalon. Tolkien foi só no começo. E pra galera poder entender as outras possibilidades. Falei da inspiração histórica, inclusive, pro druidas, que nada tem a ver com Tolkien. Do druida que ideia a sociedade e as cidades. Daquele que aceita. Tolkien foi só bem pelo começo mesmo. E num podcast mais a frente já aprofundei, utilizando os comentários do Bruno aqui no post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Baba Haha, não Babá Haha. Corretor de celular zueiro.

      Excluir
    2. Druida que odeia a sociedade. De novo, corretor. E falo bastante do Merlin, inspiração folclórica/"histórica" para a criação da classe.

      Excluir