quarta-feira, 14 de junho de 2017

[Top Listas] 5 coisas essenciais para um bom jogador de RPG

Bom dia, RPGista! Como já criei aqui dois artigos voltados para os Mestres de RPG (Os 3 erros que você NÃO deve cometer para ser um bom Mestre de Jogo e criar um jogo divertido // As 5 características essenciais que um bom mestre deve ter), hoje me volto para algumas coisas essenciais para que o jogador possa ajudar o mestre e todo o grupo. Por isso, aqui vai uma lista com alguns comentários para que todos possamos ter melhores mesas de RPG!

BAIXE AGORA O APP DO SITE

1) Conversar com o Mestre e se expressar - No meu artigo sobre cinco características essenciais para um bom mestre, falei sobre o altruísmo. Ali, disse que o Mestre deve pensar em proporcionar uma mesa legal e divertida para todos. E o mesmo vale aqui para o jogador. Mesmo que você tenha uma ideia fixa de qual personagem deseja criar e com o que quer jogar, converse com o seu Mestre e esteja aberto a mudar coisas da história do personagem - de sua personalidade e afins - para que o jogo possa fluir de uma maneira melhor. Isto é, o Mestre não deve forçar o jogador a interpretar o que não quer, mas o jogador também pode conversar e fazer com que os dois (assim como todo o grupo) construam uma boa história em conjunto. Uma história, inclusive, que seja fácil de administrar também. Afinal, se cada jogador pegar um personagem que não tem absolutamente NADA a ver um com o outro, é bem difícil de se criar uma história coesa - e muitas vezes um jogador terá que ficar esperando muito tempo para que cada um termine o seu turno (caso não seja possível unir o grupo).


2) O mais importante é a diversão - Essa é uma regra que serve para completar a anterior. É importante lembrar que se trata de um jogo. Um grupo de amigos está sentando para se divertir. Então, é necessário altruísmo na conversa com o Mestre e na hora de jogar para que todos possam jogar, para que haja respeito e paciência entre os jogadores. Além disso, em nome da diversão, como dito acima, pode ser importante que se abra mão de uma ideia fixa de personagem em nome de um jogo coletivo mais fluido e melhor.

3) Vá fundo no seu personagem. Faça perguntas - Já que se trata de um jogo de interpretação, olhar com calma e com carinho para o seu personagem pode ser importante, tente não vê-lo apenas como um somatório de números e habilidades. É claro que o jogo poderia ser jogado até como um jogo de batalha em tabuleiro (no caso do D&D), mas se a mesa está buscando interpretação, olhe com calma para o personagem. Pense nele. Faça perguntas para si: o que meu personagem pensa? Como ele se comportaria numa situação X? Enfim, pergunte-se sempre, levante questões sobre seu próprio personagem, pois delas virão uma personalidade legal e cativante. Fora isso, crie também, invente coisas legais sobre ele. Os mestres gostam! E isso nos leva ao próximo ponto da lista.

4) Pense nas Peculiaridades do seu personagem - Esta é uma regra do GURPS que acho super interessante. Lá, os jogadores podem criar peculiaridades para seus personagens que geram 1pt para a ficha. Não acho que os pontos sejam necessários, mas a ideia é. Pense em coisas bem sutis que podem dar uma qualidade única ao seu personagem. Ele é um bárbaro que coleciona orelhas de inimigos valorosos? Ele é um cavaleiro que todo dia antes de dormir vai lá, limpa e pole a sua espada? Enfim, há inúmeras possibilidades de pequenos hábitos e peculiaridades que você pode anotar e que vão tornar o seu personagem só seu (além de poderem trazer momentos legais de interpretação). Aliás, falei bem especificamente sobre isso no podcast Pensando RPG #034 - Uma dica para melhorar a interpretação de personagens e de NPCs. Vale ouvir!

5) Não fique distraído (e nada de celular!!) - É claro que olhar o celular de vez em quando tá bom, né. Não precisa ficar com ele desligado. Mas uma das coisas que quebra o clima da mesa são jogadores constantemente distraídos, seja pelo celular ou por qualquer outra coisa. Por isso, deixe o celular de lado, apenas para checar notificações ou ligações realmente importantes. Além disso, preste atenção mesmo quando não estiver no seu turno de jogar. Não para fazer meta-game (e sei que tem gente que prefere não ver o turno dos outros para não ter certas informações), mas para se manter focado. Saber de uma informação que você não sabia até pode afetar seu jogo (embora não devesse), mas o ganho para toda a mesa por se manter o foco e a imersão de todos vale muito, pois evita as conversas paralelas, que muitas vezes prejudicam muito a diversão da galera.

Quer um bom livro de fantasia baseado em Dungeons & Dragons?? Então compre meu livro na Amazon! 




powered by TinyLetter

2 comentários:

  1. Eu acho que esses seus artigos podem dar bons podcasts ou vídeos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas a ideia é essa. Faço um artigo e depois aprofundo num podcast. Faço podcast e depois completo num artigo. A ideia é essa aí mesmo. Que tem gente que prefere o escrito pra ter referência, né.

      Mas o caminho a seguir é esse mesmo que você falou! \o/

      Excluir