segunda-feira, 19 de junho de 2017

[Podcast] Pensando RPG #055 - Perguntas & Respostas: Como lidar com viagens longas?


Bom dia, RPGista!! Segue mais um podcast muito legal para vocês. Agora com a volta de nosso rpg de Perguntas & Respostas. Fazia algum tempo que não soltava esses podcasts com o feedback de vocês, que acho importantíssimo, com suas perguntas e também ideias. A partir de agora ele voltará, ainda só a definir se no domingo ou na segunda. Estou testando. Enfim, segue a sinopse!

Neste episódio, respondo a perguntas sobre como narrar melhor longas viagens. Falo também sobre como e quando pedir para seus jogadores fazerem testes de habilidade, sobre os clichês nas histórias e tramas de RPG e ainda reflito se o mestre deve ou não mestrar e jogar ao mesmo tempo.

Duração: 24m41s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast

BAIXE AGORA O APP DO SITE



6 comentários:

  1. Primeiro podcast que ouço deste site. Cheguei através de uma postagem sua no instagram. Parabéns pelo trabalho e pela escolha do tema das viagens. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, valeu, fico feliz que tenha curtido. O tema nesse casos veio das perguntas do pessoal mesmo. Ontem pela noite saiu mais um dos podcasts respondendo às perguntas da galera! Hoje sai um mais teórico!

      Excluir
  2. Então galera, curti o pod.
    Eu queria deixar minha opinião sobre os Personagem de Mestre.
    Eu sempre li que eles eram ruins e tal, mas alguns (muito poucos) diziam que poderiam servir.
    Eu utilizo vários NPCS que poderiam facilmente ser PdM, tento dar tanta vida à eles quanto daria se fosse um personagem meu para eu jogar mesmo.
    Só que faço isso não pra construir um PdM que eu quero upar e deixar mais forte e criar apego.
    E sim porque eu quero que os PJs não olhem pra ele com cara de tipo "ah um npc qualquer ai".
    A coisa que eu acho mais legal no rpg de mesa é ver como os PJs conseguem amar/odiar um NPC.
    Sério, isso me faz sentir um narrador mais competente, pois eu percebo que fui mexendo com eles.
    E acho que se você usar da forma certa, não tem problema existir NPCs tão vivos que poderiam ser PdM, inclusive com ficha e tudo.
    Porque não sei vocês, mas eu não consigo ajustar de cabeça o nivel do NPC com a quantidade de pontos na ficha.
    E ter uma ficha pré montada faz com que você saiba os pontos fracos dele também, então se atingi-los, ele morre, goste você ou não, goste seus PJs ou não.
    Como aconteceu na semana passada na nossa mesa, onde um npc morreu ajudando o grupo.
    Na verdade, na última campanha que jogamos, Lavent, eles me batizaram de NPC Killer.
    Eu matei tanto NPC por questões de enredo e rolagens mal sucedidas que nuss KKKKKK é triste, mas rende boas histórias.

    A dica que eu tenho é:

    Construa NPCs como se fosse PJs
    Isso tornará eles mais interessantes, envolventes e importantes
    Tudo se apegar à eles, mas não deixe que isso prejudique o ON, mestre com consciência

    Para os PdM

    Converse com a sua mesa sobre.
    Se eles aceitarem numa boa, teste.
    Se você vê que não tem nenhum problema, continue usando.

    Caso contrário, não force muito ou pode ficar bem chato para todos.

    Na dúvida, mestre uma campanha e jogue outra, alternar pode ser bom.
    Embora eu prefiro mestrar.

    Valeus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal o comentário, cara, utilizarei ele aqui no podcast de Perguntas e Respostas!

      Excluir