quarta-feira, 29 de março de 2017

Pensando RPG #035 - Como ter novas ideias para sua história ou RPG


Bom dia, RPGista! Hoje trago para vocês um podcast muito legal sobre ideias e criação - e que traz dentro dele também uma novidade super interessante! Creio que vocês irão gostar muito. Então, fiquem ligados e acompanhem! Segue a sinopse:

Neste episódio, falo um pouco sobre a importância das referências para se ter novas ideias, assim como sobre uma concepção errônea que as pessoas têm sobre criatividade.

Duração: 18m11s
Baixar diretamente - Clique Aqui
Confira o podcast no Itunes - Assine Aqui
Podcast Addict? Procure "Pensando RPG"
RSS Feed do Podcast


BAIXE AGORA O APP DO SITE

Falado no Podcast

- Playlist "Sobre RPG", do canal de Youtube

- [Games de RPG e RPG de Mesa de Online] Inscreva-se no nosso canal!


- Sobre o "Ogro Quântico" (Um belo artigo)

Confira e Participe

- Grupo do Facebook

- Curta a Página no Facebook

- Assine por E-mail

- Siga no Twitter! @leoschabbach 

- E-mail: pensandoded@gmail.com   

9 comentários:

  1. Me lembro de pessoas que usavam o baralho de Tarou do Ravenloft e gerava umas histórias BEEEEEEEM legais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Po, mas é uma excelente ideia! Lembro que quando era mais novo ganhei um baralho daqueles da SpellFire, não fazia ideia do que fazer com aquilo, comecei a pegar os monstros e cartas e criar histórias em cima para o nosso rpg kkkk

      Excluir
  2. Respostas
    1. Kkkk, excelente. Ver se falo da piadinha no castelo de amanhã.

      Excluir
  3. Estou muito feliz que você vai voltar a fazer podcasts com mais frequência!

    Três vezes por semana? Acho muito legal, dou o maior a apoio mas pelo menos eu não vou conseguir comentar e participar na mesma velocidade do lançamento de novos episódios. Mas como seu público do grupo do facebook e do youtube é vasto, pode ser muito legal pra muita gente!

    Todo questionamento do processo criativo é interessante. E infinito. Existem vários exercícios para a criatividade, por exemplo: invente uma aventura virando 3 cartas aleatórias de Magic.
    Talvez você tenha interesse em falar um pouco disso em algum podcast ou propor um desafios para seus ouvintes ou para o pessoal do grupo do facebook.

    O que você chama de "encontro com o ogro quântico" eu conhecia como "ilusão da escolha". Não importa se o personagem vai para a cidade A ou cidade B, lá ele vai encontrar seu irmão gêmeo maligno como chefe de uma organizalção criminosa. E essa "ilusão da escolha" se dá em vários níveis. Quando voltei a mestrar tinha como meta sempre dar o máximo de liberdade para os jogadores e nunca usar a "ilusão da escolha". Mas as vezes uso. Eu uso sem arrependimento nenhum em testes de percepção para descobrir uma pista. Normalmente a personagem do jogador vai conseguir encontrar a pista de um jeito ou de outro, mas
    peço para o jogador fazer um teste de percepção, só para o jogador ficar feliz de ter um sucesso num teste com dados.

    Mas quase sempre a "ilusão da escolha" é uma ferramenta que o mestre usa para conduzir a história e tirar dos jogadores o poder de serem co-autores.

    De resto, que venham mais podcasts! E qualquer outro batepapo com o Tio Nitro seria super bem vindo!!!

    ResponderExcluir
  4. O outro será mais curtinho, mais dando uma ideia pra galera. Participa no que der. E sim, o que falou do magic bate com o que o Danilo falou acima e eu comentei do SpellFire. A ideia de fazer um desafio é bem boa, acho que farei algo nesse sentido sim.

    E, claro, às vezes precisamos dar uma ilusão de escolha e alterar uma coisa ou outra até para não acabar com a diversão. Mas de um modo geral procuro, como você falou, criar as aventuras de um jeito em que isso seja necessário o menor número de vezes possível. Só que tem vezes que não tem jeito.

    ResponderExcluir
  5. Uma coisa que eu aprendi quando planejava encontros de antemão pra uma aventura hexcrawl é: caso não use o encontro, guarde-o com carinho que no futuro você vai ter oportunidade de usá-lo em situações parecidas. Mantenha um caderninho com todas as suas anotações e construa um imenso repertório a se utilizar, com o tempo. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. As melhores ideias dá sempre pra guardar e usar de novo, sem dúvida.

      Excluir
  6. Só uma pequena correção sobre uma informação que foi dada sobre a literatura fantástica, Tolkien não foi o criador, ele foi pioneiro do High Fantasy que é subgênero de Sword & Sorcery, criado por Robert E. Howard, esse sim é considerado o criador da fantasia, mais conhecido como o criador de Conan o Bárbaro, Solomon Kane e Kull.

    ResponderExcluir